domingo, 25 de março de 2018

[Filme/ Netflix] - Aniquilação (2018) - Foi ruim mas foi bom

Hey! Tudo bem com você?
Espero que sim.

Lá vem eu de novo com mais um produto disponibilizado pela minha esposa Netflix.

O Filme Aniquilação, do original em inglês Annihilation entrou no catálogo da nossa empresa de streaming favorita por esses dias e causou um alvoroço entre os fãs de scifi, particularmente discordo do gênero e definiria apenas como fantasia/suspense/mistério pois a parte cientifica não é tão levada a sério ou faz grande diferença no desenrolar dos acontecimentos. Na verdade o próprio autor dos livros Jeff VandeMeer definiu o gênero de seus livros como New Weird (Novo estranho) um subgênero da Ficção Cientifica assim como o Cyberpunk.

Vamos a sinopse: Uma bióloga (sdds Padmé) se junta a uma expedição secreta e meio suicida juntamente com uma equipe de três mulheres cheias de problemas pessoais, a missão: explorar uma região conhecida como área X, um local isolado onde as leis da natureza estão sendo alteradas por uma espécie de contaminação chamada de "Prisma". Lá as cientistas encaram mistérios ligados às expedições anteriores, monstros e ambientes com DNA alterado/corrompido.

Personagens: Podemos ver a presença forte de Natalie Portman como Lena, a atriz convence como bióloga e ex militar, entretanto as formas utilizadas para explicar o contexto da personagem deixam a desejar. No começo até que os flashbacks são interessantes, trazem informações uteis, mas o filme utiliza tanto do recurso que acaba ficando chato e atrapalhando momentos de tensão.
Entre as coisas que eu gostei  foi a forma como as demais personagens tiveram suas personalidades bem delimitadas (Tessa Thompson te amo) e os motivos de terem aceito a missão, entretanto, não gostei da descartabilidade (essa palavra existe?) das mesmas, lembrando que inicialmente o próprio filme já nos dá spoilers sobre o que aconteceu com elas.

Trama: A grande questão do filme é a autodestruição, e poxa como, eles insistem nisso, não precisava explicar tanto até porque o filme traz situações que deixa isso bem claro como por exemplo: O FATO DE PESSOAS ACEITAREM IR EM UMA MISSÃO DA QUAL NINGUÉM VOLTOU.
Na verdade a trama deixa furos como o fato de ninguém ter pensado em protocolos de segurança, o porquê de não terem realizado a incursão pela praia, já que a intenção era atingir o tal farol, o porquê de não tem utilizado meios de transporte não elétricos, o fato de não terem colhido amostras nas proximidades da borda do prisma etc.


Para concluir quero citar que:

1. O diretor se recusou a reler o livro pois queria utilizar a impressão que ele tinha de quando leu o livro (muitos anos atrás). lembrando que estamos falando do mesmo diretor de Ex Machina (Alex Garland).
2. O tipo de narrativa é bem diferente do livros onde a narrativa parte de diversos pontos de vista ( as demais membras da expedição).
3. A ambientação dentro do prisma no filme é incrivelmente colorida, o que lembra os livros de fantasia que a gente tanto adora, entretanto, nos livros é mostrada uma estranheza e a ambientação foi muitas vezes comparada às realidades criadas por H. P. Lovecraft em suas obras.
4. Eu realmente amei a bizarrice toda e pretendo adquirir os livros, amei que as quatro personagens são mulheres sem o pretensão de ser GRL PWR pois as mesmas são bastante humanas.
Acredito que o objetivo seria realmente deixar dúvidas para que a gente possa criar teorias (tenho várias).

Viu o filme? gostou? Comenta aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opa! Seu comentário é bem vindo (comentários contendo pornografia, palavrões, ofensas raciais, misóginas e homofóbicas serão deletados)