terça-feira, 18 de dezembro de 2018

[Netflix/ Anime] Backstreet Girls: Gokudolls, 2018




Back Street Girls: Gokudolls é uma comédia bizarra baseada em um mangá seinen*, escrito por Jasmine Gyuh e publicado pela Young Magazine, revista responsável por mangás como GTO e Prison School, nomes já consagrados pelo público.  Apesar do nome, que nos faz imediatamente pensar na famosa boyband dos anos 90, os Backstreet Boys, podemos perceber já no primeiro episódio que o anime e a banda não são em nada relacionados. 

É legal dar uma quebrada em séries, animes, dramas mais densos com uma comédia e para isso recomendo muito esse anime no sense e divertidíssimo. Desde que vi Golden Boy, não tinha dado tantas risadas com situações hilárias e tristes pelas quais os personagens passam.

Sinopse: Três homens da Yakuza fracassam em uma importante missão, designada pelo seu chefe, e recebem propostas de punição. Entre elas estão: 1. Cometer um honroso suicídio, 2. Vender todos os seus órgãos, um por um, para benefício de seu chefe ou 3. Viajar para a Tailândia e realizar uma cirurgia de redesignação sexual, com o objetivo de se tornarem idols. Após um ano de treinamento e preparo psicológico, eles (elas) conseguem debutar e ganhar popularidade, criando inimigos e rivais ao longo do caminho enquanto se descobrem enquanto "cantoras".

Apesar de um tanto radical, a proposta do anime é bem diferente ao tratar temas sérios com comédia e apesar da falta de sentido no todo, acaba por explorar um pouco dos valores da máfia e das dificuldades enfrentadas pelos idols no mundo asiático.

Antes de finalizar gostaria de chamar atenção para a dublagem que é excelente e o trabalho de tradução que introduziu piadas nacionais o que faz com que o público desenvolva uma relação mais intima com a obra.

Gokudolls está disponível no catálogo da Netflix desde o dia 19 de Dezembro deste ano esperando pra te fazer rir.

Veja o trailer:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opa! Seu comentário é bem vindo (comentários contendo pornografia, palavrões, ofensas raciais, misóginas e homofóbicas serão deletados)