domingo, 26 de maio de 2019

[Livro] Jadis, a Branca de Neve de C.S. Lewis

Atenção, o post a seguir contém spoilers sobre os livros: O leão, a feiticeira e o guarda-roupa e O sobrinho do Mago, ambos parte da série de livros As crônicas de Nárnia de C.S. Lewis.





Quem é Jadis?


Jadis, também conhecida como Feiticeira Branca ou Bruxa branca, é a principal antagonista do livro de C. S. Lewis (1898-1963) “O leão, a feiticeira e o guarda-roupa”, pertencente à série de livros As Crônicas de Nárnia (1950). A personagem, interpretada no cinema pela incrível Tilda Swinton, é uma mulher muito poderosa e responsável pela destruição de muitos mundos, entre eles Felinda, Bramadin, Soloris e Charn, este último citado no livro “O sobrinho do Mago” (1955), trouxe o chamado Inverno de Cem Anos à Nárnia, o qual só teve fim com a chegada dos irmãos Pevensie: Suzana, Pedro, Lúcia e Edmundo.


Jadis é uma mulher muito atraente, de pele extremamente branca, lábios vermelhos e cabelos muito negros, uma perfeita branca de neve, exceto pela altura. Jadis é muito alta, descendente de Liliti e dos Gigantes, possui diversos títulos como por exemplo: feiticeira branca, dama branca e princesa de Charn. Todos esses títulos não impedem de se auto-intitular como Imperatriz Jadis, Majestade Imperial Jadis, Rainha de Nárnia, Castelã de Cair Paravel e Imperatriz da Ilhas Solitárias.


A idade da auto proclamada Rainha de Nárnia é desconhecida, entretanto, sabe-se que Jadis possui mais de mil anos de acordo com as informações que são dados nos livros da série. Se fizermos as contas chegamos à esta conclusão. A linha do tempo que possuímos a partir dos livros é a seguinte:


  • Jadis chega a Nárnia pela primeira vez no ano de sua criação.
  • No mesmo ano em que é plantada a árvore da proteção, Jadis é exilada de Nárnia.
  • Jadis retorna à Nárnia no ano 898.
  • Jadis começa o grande inverno no ano 900.
  • Jadis é morta no ano 1000 e o inverno de 100 anos tem seu fim.

História


Apesar da linha do tempo da feiticeira com Nárnia, a história da mesma começa bem antes da criação do mundo fantástico cheio de reis, rainhas e animais falantes. Jadis é originária de um mundo paralelo à Nárnia e ao mundo “real” dos irmãos Pevensie. Charn é o mundo de Jadis e passamos a conhecê-lo no livro “O sobrinho do mago”, onde Digory e Poly, protagonistas deste livro que, apesar de ter sido o segundo a ser publicado, é o primeiro na linha cronológica das Crônicas de Nárnia, conseguem acessar o Bosque entre mundos onde acabam tendo acesso à diversos mundos, entre eles Charn.


Charn é descrito pelo autor como um mundo frio e sem vida, e Jadis explica aos jovens que o seu mundo se perdeu daquele jeito após uma guerra que a mesma mantivera com sua irmã pelo trono e quando se viu praticamente derrotada, Jadis pronunciou a palavra execrável, um feitiço que mata todos os seres vivos, menos aquele que pronunciou a palavra, este fica paralisado até que alguém o liberte.


Digory e Polly acabam levando Jadis para seu mundo, onde a mesma pretende criar seu novo império. Na terra, Jadis causa muita confusão em sua tentativa de ser tratada como rainha antes mesmo de dominar o mundo, sendo levada para Nárnia por Digory e Polly, contra sua vontade, é claro.


Os personagens chegam à Nárnia no momento de sua criação, Aslam é visto cantando a canção que dá vida e forma àquele mundo. Ao ver o poderoso leão capaz de dar vida à um mundo, Jadis sabe que aquele será seu grande inimigo para dominação de seu novo reino. Neste primeiro momento, a feiticeira tenta, em vão, matá-lo com um pedaço de poste que trouxe de Londres mas, fracassada a tentativa, o pedaço de poste é sugado pela terra de Nárnia e cresce no lugar o famoso “Ermo do Lampião” (Você pode vê-lo no primeiro filme, assim que Lúcia entra em Nárnia pela primeira vez).


Ao perceber que o Leão não pode ser morto, Jadis foge e come o fruto da árvore da Juventude se tornando mais forte e bonita, entretanto, devido ao fruto desta mesma árvore ter sido plantado em Nárnia, ela é impedida de retornar, pois o cheiro que a mesma exala a incomoda. Deste momento em diante, a feiticeira branca permanece exilada nas terras do Norte até o ano  de 898 quando põe em prática seu plano de dominação, transformando seus opositores em pedra e criando sua polícia secreta.


Com sua magia fortalecida, Jadis trouxe um inverno permanente à Nárnia e baniu o Natal. Uma profecia previu que a feiticeira seria derrotada por dois filhos de Adão e duas filhas de Eva os quais conduziriam Nárnia à uma era de ouro e para evitar sua iminente derrota, ela baniu todos os seres humanos de Nárnia e ameaçou com punições os narnianos que confraternizassem com humanos.


Cem anos se passam desde o início do grande inverno e finalmente os irmãos Pevensie entram em Nárnia enfraquecendo os poderes de Jadis, Aslam negocia sua vida em troca da vida de um dos irmãos e, após o sacrifício Jadis começa a preparar seu exército para enfrentar os irmãos e seu exército de narnianos.


Durante a batalha, Edmundo, o irmão do meio dos Pevensie quebra a varinha de Jadis e a impede de transformar os narnianos em pedra, mas é Aslam que mata a bruxa após ser ressuscitado por uma magia antiga. Nos filmes esta não é a última aparição de Jadis, entretanto, nos livros, sim.


Semelhanças e paralelos


Eu me lembro claramente a primeira fala do meu professor de Literatura Inglesa I em seu primeiro dia de aula: " durante esta disciplina vocês vão aprender a ver a literatura com outros olhos e começar a identificar similaridades em obras de tempos e lugares diferentes, seja em relação ao enredo, ao motivo, à politização...”. Até então eu não tinha entendido ou relacionado obras como A megera domada de Shakespeare e Senhora de José Alencar, meu Deus eu nem mesmo tinha cogitado ler a Odisseia e a Ilíada.

Hoje, a similaridade entre aquelas e outras obras parecem óbvias pra mim, mas na época não, pois eu lia apenas o texto e não os autores e o período da escrita. Pois bem, anos após ter lido as Crônicas de Nárnia eu passei a ver certos paralelos entre a personagem criada pelos Irmãos Grimm (se é que posso dizer que eles criaram não é mesmo?) e pela antagonista criada por Lewis.


Jadis e Branca de Neve fazem parte da família real, uma de seu mundo, é uma princesa e outra, mais humilde, de apenas um reino. Ao contrário de Branca de Neve que tem seu reino usurpado, Jadis é a usurpadora do trono de Charn, que deveria dividir com a irmã. A situação para ela inaceitável, resulta em uma guerra, Branca de Neve, ao contrário de Jadis, não é uma mulher adulta, é apenas uma criança e quando tem sua vida ameaçada, foge.


A fuga também está presente na de Jadis. Ao perceber que não teria chances contra o exército da irmã, ela opta por matar todo o planeta a desistir do trono e, mais adiante, quando percebe que não tem poderes suficientes para derrotar Aslam, foge novamente. Branca de Neve foge para salvar sua vida, Jadis foge por covardia. 

A idéia do frio, do gelo na história de branca de neve serve para reforçar a pureza da criança tão desejada por sua mãe, nas Crônicas de Nárnia, o frio é visto como algo estéril, duro e cruel. Jadis trás o inverno à Nárnia e proíbe a celebração do Natal, tão importante neste período do ano. (Sim, temos Natal em Nárnia, inclusive o próprio Papai Noel em pessoa. Não podemos esquecer que trata-se uma obra infantil e que Lewis era muito cristão.

Os anões estão presentes nas duas obras e funcionam como apoio para ambas as personagens, embora isso aconteça de formas diferentes, é claro. Os personagens se repetem, temos os animais, a realeza, a briga pelo trono. Uma fruta afasta Jadis de Nárnia e uma fruta quase leve Branca de Neve à morte.

As semelhanças e paralelos entre as histórias das personagens são claras, e vez outra acabamos confundindo os arquétipos, mas é evidente que ambas as personagens são lados da mesma moeda, com historias que se encontram e se separam.

Jadis é uma mulher que quer poder, e Branca de Neve quer sobreviver. Branca de Neve seria sacrificada pelo caçador, Jadis exigiu que Aslam se sacrificasse por Edmundo. Os elementos são os mesmos, as histórias não. 

Branca de Neve casa-se com um príncipe, foi salva de sua miséria por outra pessoa, Jadis salva a si mesma. Enquanto Branca de Neve tem sua vingança pelas mãos do rei, pai do príncipe apaixonado, Jadis provoca o sentimento de vingança nos outros personagens.

A feiticeira branca luta por poder e se este não for seu, não será de ninguém, a personagem que preferiu ver o fim de seu mundo a se render, talvez veja o poder como uma forma de sobrevivência. Talvez ela acredite que quando não está no controle, ela não está sobrevivendo.


4 comentários:

  1. Eu não conhecia o livro, mas total entendo o sentimento descrito sobre a ampliação do olhar que as aulas de literatura trazem. Quanto mais estudo, mais amo!

    Adorei a resenha!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir

Opa! Seu comentário é bem vindo (comentários contendo pornografia, palavrões, ofensas raciais, misóginas e homofóbicas serão deletados)